SÍNDROME DO PÂNICO - tratamento e cura

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

ESQUIZOFRENIA


Podemos comparar a mente humana ao universo. Ela é tão pouco explorada pelo homem quanto o universo também.

Se entendermos o ser humano como um microcosmo, podemos perceber o pouco que conhecemos de nós mesmos.

A medicina é muito útil para tratar o corpo físico, mas pouco sabe das coisas imponderáveis e impalpáveis.

Quais são os limites que separam a sanidade mental da loucura?

Como tratar das coisas da mente com remédios da matéria?

O corpo físico é apenas o conjunto resultante do confronto entre mente e coração.

A mente carrega a potencialidade de conquistar e transpor todas as fronteiras, como uma nave espacial dirigida pelo coração.

De onde vêm os pensamentos, as ideias, as crenças?

Vem dos olhos, dos ouvidos, do tato, do cheiro, do gosto ou das interpretações das sensações, dos sentimentos, das vivências e relacionamentos?

Quem é responsável pela liberação de endorfinas e outros hormônios que controlam os humores?

Por que o doce que adoça a vida de um, não faz falta à vida de outro?

Ouvir vozes, ver pessoas que outros não veem, sentir-se desconectado da Terra é loucura ou é expansão da consciência?

Ultrapassar limites é loucura?

Imaginação que vai além da normalidade é dom artístico ou é esquizofrênico?

 

 

Qual a diferença entre esquizofrenia e mediunidade?

 

Axé meus filhos!

Axé a todos vocês!

Axé pra que tudo e todos sejam felizes!

Mis fio, tudo pode se chama de preconceito...

Todos nóis pode sofre preconceito...

Tudo que se faz diferente e sai das cercas dos currais é considerado errado e tem que ser mutilado.

Esse é o mundo que vocês vivem.

É meus filhos, o preconceito é filho do orgulho e da falta de aceitação.

É difícil pros filhos aceitarem que não são tão bons assim como querem ser.

É difícil compreender que os que pensam diferente podem ser melhores.

Mas vamos entender o que se passa com esses irmãozinhos que por um infortúnio de suas condutas hoje sofrem por se dizerem esquizofrênicos.

Na maioria dos casos, esses filhos foram num passado anterior pessoas sem escrúpulos e se venderam por dinheiro. Eles maltrataram outros filhos e foram de um egoísmo tão exacerbado que só viam a si mesmos.

Então fizeram inimizade com muitos que foram prejudicados por eles, e hoje sofrem as consequências de seus atos.

Os filhos, hoje, são assediados por aqueles que não perdoaram seus erros e que querem se vingar do passado que sofreram. Então eles estão tão grudados uns nos outros que esse filho não sabe mais quem é. Ele ouve os seus inimigos ele os sente, ele vê. Se não for a um centro espírita e não fizer um tratamento sério, isso só vai piorar. E têm também os filhos que são médiuns de prova e que têm que desenvolver sua mediunidade para trabalhar, eles também podem ser taxados de esquizofrênicos.

Filhos, o preconceito é egoísmo, é achar que só você tá certo e que todos os outros que são diferentes são porcaria. O preconceito é sinal de escuridão espiritual.

Abram seus corações sempre, acolham as diferenças, enxerguem além das vistas. Ouçam além das orelhas, sintam além das mãos.

O verdadeiro cristão não persegue a ninguém, não julga, não faz justiça.  

Mas se ainda tiverem dúvida e perguntarem se esses problemas não podem ser genéticos e de origem física, nós responderemos prontamente:

- Entendam de uma vez por todas que qualquer problema físico tem sua origem no confronto de mente e coração.

A mente é a razão e o coração é a consciência.

O Homem é um espírito encarnado que está dando seus primeiros passos rumo ao entendimento de que a matéria é apenas o envoltório que lhe serve ao aprimoramento e crescimento que representa a união de mente e coração.

Naná, Shan e Nadya Prem

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Obsessão Espiritual



No número dos escolhos que apresenta a prática do espiritismo, é preciso colocar, em primeira linha, a obsessão, quer dizer o império que alguns espíritos sabem tomar sobre certas pessoas. Ela não ocorre senão pelos espíritos inferiores que procuram dominar; os bons espíritos não impõem nenhum constrangimento; eles aconselham, combatem a influência dos maus, e se não os escutam se retiram. Os maus, ao contrário, se agarram àqueles sobre os quais fazem suas presas; se chegam a imperar sobre alguém, se identificam com seu próprio espírito e o conduzem como uma verdadeira criança.” Livro dos Médiuns cap. XXIII – Allan Kardec

Escrito há mais de 150 anos atrás, o Livro dos Médiuns descreveu a obsessão espiritual. A influência que um espírito pode exercer sobre outro, prejudicando e desequilibrando sua saúde física, psicológica e espiritual só acontece a partir de uma sintonia que se cria entre ambos, conectando-os energeticamente.

As obsessões são como um processo de vampirização.

O espírito obsessor vampiriza sua vítima, retira-lhe as energias, enfraquecendo e desequilibrando o obsediado.

É importante saber que nenhum processo obsessivo ocorre sem que haja um campo aberto por parte do obsediado desavisado.

O obsessor pode ser um espírito desencarnado ou encarnado, com uma ideia fixa, uma perseguição insistente por outra pessoa, seja por paixão ou por ódio.

Os ataques obsessivos podem ser atenuados e evitados através do “Orai e Vigiai”, compreendendo nessa frase seu verdadeiro sentido.

 Somos energia vibrando e estamos conectados energeticamente uns aos outros. Trocamos, captamos e distribuímos energia. Podemos ser sugados energeticamente, podemos sugar a energia alheia.

Sai Fora Capeta!

Nenhum obsessor será convencido de se afastar de sua vitima pelo grito. A força que se impõe ao obsessor, não é física, é energética e espiritual. A força do amor e da luz que predomina sobre as sombras. Para o obsessor quanto mais histeria melhor.

Entendendo a obsessão através do Budismo

O Budismo ensina que a causa de todo sofrimento vem do desejo. Apego pelo objeto de desejo e aversão pelo que não se quer. Querer ter e não compreender a impermanência de todas as coisas, causam sofrimento.

A prevalência do ego sobre o espírito de união e compaixão gera os transtornos obsessivos.

Vampiros energéticos

O obsessor sempre será também um vampiro energético, assim como todo vampiro energético também é um obsessor.

Alguém que se senta ao lado de outra pessoa e não para de falar de si mesma, é um exemplo simples de vampirismo energético. É um tipo de obsessão fácil de reconhecer, normalmente temporária, findando com o término do monólogo. Quando a pessoa se afasta, a outra sente um grande alívio e ao mesmo tempo, sente-se cansada e sem energia.

O obsessor é sempre um egoísta que tem um desejo insatisfeito e que escolhe um alvo para atacar, seja ele o fruto de seu desejo ou não. Um excesso de apego move o obsessor que escolhe sua vitima para se vingar, por ódio ou paixão.

O obsessor nem sempre é consciente do prejuízo acarretado.  Ele pode estar junto do obsediado achando que pode ajudá-lo estando por perto, por não ter o entendimento da espiritualidade e não se conformar com o afastamento temporário que a morte física causou em sua relação com o ser amado.

Por isso, não concordo em chamá-los de maus espíritos,  em muitos casos a ignorância seria um termo melhor empregado para defini-los.

Alguns espíritos quando desencarnam e não aceitam sua condição podem se tornar obsessores dos familiares que continuam encarnados; principalmente quando o encarnado sem conhecimento espiritual, não ora por aquele que se foi e o chama com tristeza e sofrimento.

A grande maioria das obsessões simples acontece porque o espírito desencarnado continua extremamente ligado as coisas da matéria e para se manter próximo do mundo físico, aproxima-se de pessoas que possam lhe proporcionar os prazeres que usufruía quando encarnado. Normalmente esses prazeres estão relacionados com os vícios de toda ordem. As drogas, os excessos da gula, sexo, maledicência, ganância, desejo de poder  e tantos outros pensamentos, sentimentos e atitudes desajustados.

Existem as falanges do Umbral que buscam sedentas os gozos terrenos e se aproveitam dos encarnados fragilizados, desequilibrados, que deixam suas portas abertas aos obsessores.

Que fique claro que as obsessões não ocorrem apenas do lado de lá para o lado de cá, mas também entre os encarnados, entre os desencarnados e dos encarnados para os desencarnados.

Estamos todos ligados uns aos outros e precisamos compreender a importância de fazer prevalecer a energia benéfica que brota do amor incondicional do eu superior, da consciência divina e iluminada que há em nós.

O Buda que nos habita emana a luz e dissipa as sombras. Somos cocriadores e responsáveis pela transformação do planeta a partir de nossa transformação pessoal.

Se quer evitar as obsesões seja no papel de obsediado ou de obsessor, busque o autoconhecimento e a iluminação. Primeiro aceitando e acolhendo suas imperfeições, olhando e compreendendo amorosamente sua sombra.
Tomar consciência de si mesmo através da expansão da consciência, se perdoando, se amando e compreendendo que a escolha é sempre sua.

Salve!

Nadya Prem


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A Terapia Transpessoal tratando a Síndrome do Pânico ou Descompensação Vibratória e Mediunidade.




Como sabemos , quando estamos muito abertos às influências energéticas do ambiente externo, de outros espíritos, encarnados ou não, tornamo-nos vulneráveis. Os desequilíbrios são resultado dessas influências. 

Para retomar o equilíbrio e alcançar a cura, a psicoterapia transpessoal utiliza recursos capazes de cessar a intervenção maléfica das energias pesadas e deletérias, alterando o padrão vibratório para frequências mais elevadas.

Dizer que alguém tem o corpo fechado, significa que a pessoa está protegida das influências energéticas externas. Para  tanto é preciso desenvolver o "centramento". 

Centrar-se é tomar posse de si mesmo, ter domínio de si, através do estudo e da prática, desenvolvendo e amadurecendo a mediunidade e equilibrando os chacras.

O chacra Muladhara, também chamado de chacra básico, localizado na base da espinha é responsável por nosso enraizamento à terra. Junto com o segundo chacra Swadhistana, controlam as glândulas sexuais e as suprarrenais.

As glândulas suprarrenais são excretoras da adrenalina, o hormônio liberado nas situações de medo. Vários sintomas mediúnicos podem ser acalmados pelo trabalho de energização e equilíbrio desses chacras.

 Você pode começar a equilibrá-los através de práticas simples e eficazes.

Sente-se em um local calmo onde possa observar sua respiração, começando a tomar consciência de si mesmo. Nas crises de pânico a respiração se torna ofegante. Aprender a dominar o fluxo respiratório vai ajudar muito. (assista o vídeo abaixo sobre respiração).

Praticar atividades físicas, caminhada e dança também proporcionam o enraizamento. As práticas bioenergéticas como o grounding equilibram a carga e descarga energética.

Os sintomas da síndrome do pânico ou descompensação vibratória e da mediunidade de incorporação ou psicofonia,  ativam a liberação de hormônios  controlados por esses dois chacras.

Além disso, tem a questão da mente e de seu psiquismo. Quando estamos infelizes com nossa vida escolhemos, muitas vezes, não estarmos totalmente presentes. Nessa condição acabamos por perder o contato conosco e nos tornamos alvos fáceis do assédio energético/espiritual,  que tomam as rédeas de nossas vida.

Faça os seguintes questionamentos:

COMO VOCÊ SE RELACIONA COM SEU CORPO?

COMO VOCÊ SE RELACIONA COM O DINHEIRO E COM A MATÉRIA?

COMO VOCÊ SE RELACIONA COM A SEXUALIDADE E O PRAZER?

COMO SÃO SUAS RELAÇÕES SOCIAIS?

QUAIS SÃO OS SEUS MEDOS?


Não tenha pressa de entender e transformar  , tenha persistência e fé no caminho do autoconhecimento. Os resultados virão como consequência de uma mudança diária e progressiva.

A psicoterapia transpessoal possibilita a expansão da consciência e o entendimento do ser multidimensional. Ultrapassando as barreiras das crenças limitantes e dos padrões negativos.

Num momento de crise chame por seu mentor espiritual ou anjo da guarda para ajudar, mas não se esqueça de cuidar dos seus pensamentos, sentimentos e atitudes diários, o clássico “orai e vigiai”.
Nadya Prem



Para maiores informações entre em contato com  nadyaprado@uol.com.br



quarta-feira, 4 de julho de 2012

INTOXICAÇÃO ENERGÉTICA



 Resultado de imagem para prana



A toxicidade consiste na capacidade de uma substância produzir um efeito nocivo quando interage com um organismo vivo. Ela depende da dose e/ou do sistema de cada um.
Todas as substâncias podem ser tóxicas consoantes à dosagem utilizada.  


Na dimensão energética nos contaminamos por meio dos alimentos, álcool, fumo e outras drogas; pensamentos, emoções, sentimentos,  palavras e atitudes  que envenenam o corpo etérico.

Para a medicina Ayurveda os alimentos saudáveis são aqueles que contêm mais prana os quais chamamos de alimentos vivos. Industrializados, carne, refinados e outros tipos de alimentos processados são prejudiciais a saúde e não têm prana e sim ama que são as toxinas.

O álcool o fumo e outras drogas são elementos que destroem a tela etérica e atraem toda espécie de espíritos viciados às emanações deletérias que produzem. 

As emoções são expressões vivas dos pensamentos e sentimentos que se exteriorizam.
Temos um corpo sutil, denominado corpo astral ou emocional, resultante desse complexo do ser. Raiva, medo, tristeza e tantos outros pensamentos e sentimentos negativos adoecem o corpo emocional e por consequência o corpo físico e a psique.

Somos também bombardeados por emanações vindas dos ambientes que frequentamos e de outros espíritos, encarnados ou não.

No lar a intoxicação energética pode ocorrer pelo excesso de pensamentos, emoções, sentimentos, conversas ou discussões, entre outras emanações fluídicas que se acumulam entre as paredes e por toda a mobília.


Mesmo que não haja um ambiente controverso e atribulado dentro de casa, o acúmulo energético e estagnações podem ocasionar uma série de distúrbios nos familiares desatentos.
Os miasmas e as formas-pensamento  são as  emanações pútridas que se formam e agem no campo energético como larvas e outros parasitas. Também podem surgir outras formas, plasmadas a partir desse acúmulo energético, moldadas por vibrações negativas dos próprios moradores ou de outros espíritos que estejam sintonizados.

Para evitar a intoxicação energética e todas as suas consequências, é necessária a profilaxia do ambiente e de todos que ali vivem.

A utilização do sal grosso e do carvão são fórmulas bastante conhecidas e muito eficazes no combate aos miasmas. Todo excesso e negatividade são extraídos e absorvidos por esses elementos. A argila também é um ótimo receptor e por isso a necessidade de terra e plantas em casa. As plantas recebem toda a negatividade que é emanada antes de atingir os moradores.

Os animais criados em casa também são uma fonte de proteção energética e muitas vezes acabam por transmutar os desequilíbrios de seus donos.

Os incensos, a oração que vem do coração, as vibrações amorosas também criam um clima favorável ao equilíbrio energético.

Quando a desarmonia e o envenenamento energético se instalam, surgem as enfermidades no corpo físico e mental. Nesses casos é imprescindível a intervenção de um terapeuta conhecedor das práticas holísticas capazes de reequilibrar o ambiente e as pessoas envolvidas.



QUER HARMONIZAR A SUA ENERGIA E DE SEU LAR?
HARMONIZAR SUA VIDA E SUAS RELAÇÕES?
TER MAIS PRAZER E ABUNDÂNCIA?
MUDE SUA VIDA, MUDE SUA ENERGIA!



  • CURSO DE AUTODEFESA ENERGÉTICA E ESPIRITUAL ONLINE

  • ATENDIMENTO PARTICULAR PARA LIMPEZA E HARMONIZAÇÃO DE AMBIENTE EM 04 SESSÕES

Para mais detalhes entre em contato com  nadyaprado@uol.com.br


segunda-feira, 16 de abril de 2012

Síndrome do Pânico X Mediunidade

Desde a adolescência, sofri muito com a Síndrome do Pânico. 
Meu conhecimento sobre o tema, é fruto de minha experiência e  busca pela cura. 
Naquela ocasião, quase não se falava sobre o assunto. Havia pouca pesquisa e muito preconceito. Por isto,  tive grande dificuldade para encontrar informações  que me ajudassem a  compreender o que se passava comigo. Já faz mais de trinta anos que tudo começou e hoje posso afirmar que foi um caminho de estudos e aprendizado sobre a síndrome, as causas e o tratamento mais adequado. Entender a dinâmica que envolve não somente a síndrome do pânico, como também tantos outros transtornos psicológicos, que acometem cada vez mais pessoas, gerando desconforto, sofrimento e prejudicando a qualidade de vida.
Taquicardia, falta de ar, dor ou desconforto no peito, formigamento, tontura, tremores, náusea ou desconforto abdominal, embaçamento da visão, boca seca, dificuldade de engolir, sudorese, ondas de calor ou frio, sensação de irrealidade, despersonalização, sensação de iminência da morte.
A psiquiatria trata os sintomas com medicação antidepressivos e ansiolíticos junto à psicoterapia. As crises repetidas desses sintomas desagradáveis podem acontecer a qualquer instante sem nenhuma explicação aparente e se diferenciam de uma fobia que é caracterizada por um temor específico.
As crises de pânico estão associadas a um alto e constante grau de ansiedade. Entretanto, não basta ser ansioso para desenvolver o transtorno. Outros fatores devem ser observados na homeostase multidimensional do ser.

Sabemos que hoje vivemos uma vida mais agitada e estressante. Excesso de informações e uma corrida conta o tempo. A cultura do imediatismo e a busca por controle promovida pelo medo constante.  Nesta luta contra as adversidades e imprevisibilidade da vida, tornamo-nos ansiosos.

Cada um de nós tem seu modo particular de lidar com a ansiedade e o corpo nos responde por meio do metabolismo. Importante reconhecer que somos responsáveis pelo que pensamos e sentimos e que o corpo acredita naquilo que enviamos a ele como mensagem. Numa situação de perigo real ou imaginário, o sistema endócrino é ativado, pelo cérebro límbico, liberando os hormônios responsáveis por preparar o corpo a reagir  lutando ou fugindo. A adrenalina e o cortisol provocam a sintomatologia do pânico. 

Precisamos nos sentir seguros e queremos controlar todas as coisas, mas a síndrome do pânico, não tem relação com nenhum fator estressante específico, ela se dá a qualquer momento, sem explicação sobre sua origem. Este é o grande  mistério para a ciência. Pode-se dizer que a síndrome é uma reação crônica em que o corpo já não consegue controlar o estresse. Porém, abre-se uma lacuna, como páginas de um livro que não foram escritas. Não há como explicar o ser humano apenas pela simplória e limitante crença materialista.
Pela ótica transpessoal, temos uma abrangente compreensão das causas , do processo que desencadeia as crises de pânico e da metodologia e técnicas para a cura. Sim, o transtorno do pânico tem cura!

Somos seres constituídos por emoções, sentimentos, pensamentos. Cada "parte" desse sistema que nos compõem tem sua representação energética condensada em nossa aura. Somos energia e Einsten demonstrou cientificamente  que toda matéria é energia condensada.
Além do corpo físico, somos a expressão de nossos corpos sutis: vital, emocional ,mental e espiritual. Guardamos um repertório de vivências desta e de outras vidas,  que resultam em nossa condição energética atual, impressas em nossos corpos.
Cada pessoa possui sua estrutura energética conforme seu padrão vibratório, que reflete em sua fisiologia e parafisiologia (O termo "parafisologia" se refere aos corpos sutis.). A integração entre corpo físico  e corpos sutis  determinará o grau de sensibilidade de cada ser aos estímulos da vida terrena e extra-corpórea.
A síndrome do pânico é comum entre pessoas com alto grau de sensibilidade, aos médiuns mais aflorados. A mediunidade de incorporação e psicofonia explica a sensação de despersonalização e morte iminente. Há um afastamento ou descompensação vibratória entre seus corpos físico e sutil.
A mediunidade é comum a todos nós, porém algumas pessoas são mais "abertas" às influências energéticas e espirituais, devido sua parafisiologia . Os espíritos se aproximam do médium e ele sente em seu corpo físico a alteração metabólica, acionada pelo sistema endócrino. Alguns médiuns são "hipersensíveis" às emanações fluídicas de outros espíritos, de objetos e ambientes. Sem nenhum conhecimento e consciência se tornam joguetes das influências alheias.


A nível psicológico, podemos dizer que, quando nos sentimos depressivos, descontentes, magoados, mal amados e não temos um suporte suficiente para nos libertar das amarras do vitimismo, podemos provocar a nossa despersonalização e descompensação vibratória, porque nos sentimos infelizes com nossas vidas, com o que somos. É como se fugíssemos de nós mesmos e da vida. Perdemos nossa conexão com a Terra. Tornamo-nos alvos fáceis das energias negativas que desestruturam e desequilibram, sofrendo os ataques energéticos que resultam nas crises de pânico.

A despersonalização é uma sensação de estar enlouquecendo, perdendo a identidade, a pessoa sente que não é mais ela mesma. Essa sensação é a perda temporária de seu ego, sua identidade pessoal nesta vida. Por isto provoca o medo da aniquilação. Perder a consciência de si é como a morte do ego.

Os esquizofrênicos lidam com a despersonalização de uma forma muito corriqueira. O limite que separa a esquizofrenia da mediunidade desenvolvida, é que o médium bem treinado, conscientemente deixa que sua personalidade se afaste um pouco para que outros espíritos se manifestem e com total controle do episódio, quando quer, pode voltar a si, após terminar a canalização.

Os medicamentos alopáticos apenas entorpecem os sentidos mais sutis e não curam. além de criarem dependência física e psicológica.
O uso de drogas, as crises de violência e raiva e alguns traumas também podem fazer surgir a síndrome, além dos ataques obsessivos de espíritos sofredores desencarnados.

Relevante notar que seja qual for a causa, ela sempre provocará um rasgo no véu fluídico que nos separa do mundo espiritual, que é um tipo de  tela etérica protetora que impede esta conexão descontrolada.


O tratamento para a cura da  Síndrome do Pânico, na visão transpessoal, tem como base o reequilíbrio do ser integral e multidimensional, visando os aspectos físicos, energéticos, emocionais, mentais e espirituais que compõem o homem-espírito. Psicoterapia transpessoal, manipulação energética para harmonização dos chacras e da aura como um todo. Autoconhecimento, entendimento dos estados alterados de consciência, yogaterapia, educação mediúnica. Compreensão do ser integral e transformação vibratória.
Na mediunidade desequilibrada, sintonizamos o mundo sutil, com as emanações fluídicas mais grosseiras dos espíritos que se encontram em sofrimento e de outras influências energéticas que sensibilizam a aura. À medida que amadurecemos, vamos acessando as emanações mais sutis dos nossos guias espirituaise aprendemos a manipular as energias sutis. lembrando que todos somos médiuns e interagimos com as energias das diversas camadas dimensionais.

A mediunidade, ou sexto sentido, apesar de ser tratada nos centros espíritas, não pode se restringir ao âmbito religioso. Ter mediunidade não significa compromisso religioso. Os desequilíbrios mediúnicos precisam ser desmistificados e tratados de forma integral. 
Eu prefiro chamar a Síndrome do Pânico como Descompensação Vibratória que produz uma série de sintomas associados aos centros nervosos e chacras, influenciando todo o sistema endócrino e a liberação hormonal.
Para os médiuns que já nascem com essa peculiar composição, a cura significa o amadurecimento mediúnico, pelo caminho do autoconhecimento e das práticas transpessoais.


Sem nenhuma conotação religiosa, a descompensação vibratória e a mediunidade são um fato que precisa ser corajosamente enfrentado; não com medicamentos, mas com amor e transformação pessoal. O planeta está evoluindo e chegará um tempo em que a humanidade compreenderá a si mesma e sua multidimensionalidade de forma natural.
Hoje, tenho segurança mediúnica e maturidade para compreender a grandiosidade que há além dos preconceitos médicos e suas limitações materialistas.

O sexto sentido, é um dom divino. O desconhecido nos causa medo, porém, o enfrentamento e o entendimento sobre a mediunidade traz luz ao que antes era obscuro. Através do estudo, da prática e da conscientização, sem preconceitos materialistas e dogmatismos religiosos, tomamos o domínio de nós mesmos e de nossa potencialidade para sermos felizes e saudáveis. 



Namastê!


Nadya Prado - Nadya Prem




Informações sobre Tratamento para Síndrome do Pânico

Psicoterapia Transpessoal : Sessões semanais com 50 minutos de duração cada


-presencial: Itupeva /São Paulo

-à distância: para todo o Brasil e exterior - online, com webcam ou áudio (skype ou facebook) - sessões semanais  individuais com Nadya Prem

Entre em contato através do e-mail nadyaprado@uol.com.br

   

TVP - Terapia de Vidas Passadas




A nossa mente é tão complexa quanto misteriosa e esconde um repertório extenso de vivências. Algumas experiências são facilmente recordadas; entretanto outras, aparentemente esquecidas, ficam armazenadas no inconsciente.

Lembremos ou não de todos os fatos, seremos sempre o resultado dessas experiências que acumulamos. As nossas atitudes, pensamentos e emoções são respostas programadas segundo o que aprendemos.

A Terapia de Vidas Passadas entende esse processo mental de forma muito mais abrangente que outras psicoterapias, pois busca as causas dos desequilíbrios psicossomáticos em traumas e fixações vivenciados em outras vidas no conceito reencarnacionista.

A terapia não é nenhuma panaceia como alguns procuram fantasiar. Trata-se de uma técnica simples na qual o terapeuta direciona, através de práticas próprias, o afloramento de memórias passadas e a identificação das mesmas.

Ainda há muita especulação a respeito da espiritualidade e das terapias voltadas à saúde espiritual, pelo fato de algumas pessoas, mal intencionadas, tornarem o que é tão simples e natural em algo místico e esotérico.

Precisamos desvincular a espiritualidade do ocultismo, da religião e dos preconceitos. Já é tempo de abandonarmos os fantasmas dos filmes de terror que os "enlatados" e a cultura ocidental consumista e materialista persistem em "vender" como verdade.

A morte para algumas culturas,  em especial no oriente, é considerada uma parte de um todo, que compõe a natureza de todos os seres.

Falar sobre a morte é essencial à integridade do ser que busca a transmutação do medo, que é uma emoção contraria ao amor e a vida plena.

A TVP é uma porta que se abre para a compreensão dos sofrimentos atuais, dos problemas familiares, das doenças que nos acometem o corpo e a alma.

Nadya Prem

O processo terapêutico na TVP é composto de 08 sessões e pode ser realizado também à distância através do Skype.

Para mais informações entre em contato com Nadya Prem através do e-mail  nadyaprado@uol.com.br

terça-feira, 20 de março de 2012

Espiritualidade, causa primária de todas as coisas...

 
NAMASTÊ


Através deste blog pretendo compartilhar e divulgar experiências e conhecimentos a respeito do mundo espiritual. A busca incessante do homem para desvendar e entender os mistérios da vida e da morte, sempre esteve presente em todas as civilizações.


Importante  entendermos a diferença entre espiritismo e espiritualidade , entre religião e religiosidade. O espiritismo é parte da doutrina Kardecista e deve ser a ela resguardado. Já a espiritualidade é mais abrangente e trata da dimensão espiritual não como religião.


A religiosidade é a busca de conexão entre matéria e espírito e não tem limitações e dogmatismo.


Minha intenção é abordar a espiritualidade como caminho para a saúde física e psicológica.


Os sofrimentos terrenos, sejam no âmbito da saúde do corpo ou da mente, estão intimamente relacionados ao estado espiritual do ser. As causas dos desequilíbrios estão sempre enraizadas na dimensão espiritual e nenhuma cura pode ser considerada definitiva se não houver uma transformação espiritual íntima do ser.


Falaremos aqui da vida; dos relacionamentos, dos sofrimentos e de tantas outras facetas que nos impulsionam ao autoconhecimento e a consciência de nós mesmos, com a finalidade primordial de nos tornarmos verdadeiramente plenos. Não esquecendo que plenitude é um estado de satisfação, saúde e felicidade a que todos temos direito!


Nós somos criação de Deus e a perfeição habita dentro de nós.
Nadya Prem






Corpos Sutis

Nós somos espíritos vivendo na matéria. Estamos todos em aprendizado contínuo, através das encarnações e do convívio familiar e social. Tudo que nos acontece tem um sentido, uma causa que muitas vezes não compreendemos.
Estamos entrelaçados com o nosso passado, desta e de tantas outras vidas já vividas. Fomos homem, mulher, pai, mãe, rico, pobre.
Acumulamos uma vasta experiência e também resgates carmáticos, criados em outras encarnações.
Vivemos hoje aquilo que necessitamos para o nosso aprendizado e as consequências de atitudes e crenças de outrora que ainda carregamos como fardo, sem nos darmos conta.
As manias, tendências, vicios, talentos e virtudes que caracterizam o nosso ser atual.
O estado de saúde ou de doença do corpo e da mente, sempre estará em sintonia com o nosso padrão energético e dependerá de uma série de circustâncias espirituais.

Para entendermos o ser holístico vejamos abaixo:

Cada camada representa uma dimensão do ser.

Todos os corpos estão interligados e se comunicam. Para ter equilíbrio e saúde todos as dimensões precisam estar em harmonia.



CORPO ETÉRICO

 É a parte sutil do corpo Físico.  Embora composto de matéria em estado de energia, pertence, contudo, ao plano Físico.  Disto concluímos, portanto, que o corpo humano é composto por duas partes.  Uma de matéria densa, que são os ossos e os músculos, e a outra de matéria rarefeita, já na escala das energias.  Essa outra parte, em tudo, excluindo-se a consistência, é idêntica à parte densa.

É muito comum ser visto por pessoas, de um modo geral, logo após a morte de um corpo humano, pois, nessa circunstância, quando se solta deste, ainda está bem composto.  Essa aparição é o popular assombração. 

O que se vê, porém, é o duplo-etérico do recém desencarnado, e não o seu corpo Astral.  Logo após a soltura inicia-se nele o processo de desintegração, tal como a decomposição do corpo humano .  A desintegração total se completa em mais ou menos três dias após a morte.  Em razão desse fato mentores espirituais orientam que a cremação de cadáver deve ser feita
após um período maior que as costumeiras 24 horas depois da morte.  O motivo dessa recomendação se prende ao fato de que dentro desse período o duplo-etérico, ainda parcialmente composto, por sua função associativa, estará transmitindo à consciência, via corpo Astral, as desagradáveis impressões do corpo Físico sendo queimado. 

Essas impressões causariam sofrimento ao recém desencarnado.   
No oriente, entretanto, na Índia principalmente, cremar cadáveres é ato corriqueiro e feito em plena via pública.  Tanto é assim que a Teosofia, cujas bases se fundamentam nas filosofias Hindus, na descrição de uma de suas mestras, Annie Besant, em seu livro A Vida do Homem em Três Mundos, recomenda como meio benéfico a cremação de cadáveres para apressar a dissolução, também, do Duplo-Etérico. 

Sua opinião se firma no fato de que com a dissolução mais imediata, tão logo o corpo tenha deixado de viver, o Duplo-Etérico não viria a servir de pasto a entidades desclassificadas que dele se apoderariam, famintas de energias humanas.

Trata-se do seguinte:  Por ser o vitalizador do corpo humano, como ficou descrito linhas acima, o Duplo-Etérico é muito cobiçado pelas entidades inferiorizadas.  Estas, embora desencarnadas, continuam imantadas ao plano Físico, e buscam os duplos-etéricos em desintegração, seja dos humanos ou dos animais, para aproveitar-lhes a vitalidade.  Essas entidades inferiorizadas ainda não conseguem extrair do ambiente em que vivem, plano Astral inferior, o alimento de que necessitam. 

CORPO EMOCIONAL (CORPO ASTRAL OU PERISPIRITO) 
O corpo emocional também aparece sob o nome de veículo astral corpo de desejos. Sua matéria
corresponde à do mundo astral, também chamado plano astral ou emocional.

Quando a energia do homem é dirigida para o exterior, para os objetos desejados por ele, ou é empregada em atos de emoção ou paixão, esta energia tem então por campo de ação uma espécie de matéria muito menos sutil que a do plano mental: a matéria do mundo astral.

O que se chama corpo emocional, ou de desejos, está composto desta matéria mais densa, e é ela que, no homem pouco desenvolvido ainda, constitui a maior parte de sua aura. Quando o homem é de tipo grosseiro, seu corpo de desejos está formado da matéria mais densa do mundo astral; é opaco, as cores são escuras, e os diferentes tons do verde e do vermelho, empanados ou sujos, desempenham o papel mais importante. Segundo a espécie de paixão que se manifesta, a vontade faz brilhar sucessivamente as cores características. Um homem elevado, ao contrário, tem um corpo de desejos composto das espécies mais sutis da matéria astral, e suas cores são brilhantes e puras, tanto externa como internamente. Este corpo é menos sutil, menos luminoso que o corpo mental; no entanto, à medida que se elimina o egoísmo, todos os tons sombrios e obscuros desaparecem com ele.

CORPO MENTAL INFERIOR (concreto):

A mente emocional (manas: )é onde está situado o princípio do egocentrismo, responsável pela sensação de separatividade da unidade. O ego estimula a experiência e a satisfação dos desejos e não para a manifestação dos atributos do espírito. O princípio da individualidade (Ahankara) é o grande obstáculo para o entendimento das manifestações espirituais.
A mente instintiva (kamas): é o aspecto animal presente no homem, estando relacionada com a necessidade de preservação, conservação e reprodução da espécie.

CORPO CAUSAL (abstrato):
É o segundo corpo Mental, que designamos sob seu nome distintivo de: “Corpo Causal”. Damos-lhe este nome em virtude de nele residirem todas as causas cujos efeitos se manifestam nos planos inferiores. É o receptáculo, o reservatório, onde todos os tesouros do homem se acham acumulados para a eternidade e vai sempre se desenvolvendo sem parar. É no corpo causal que são assimilados todos os resultados duráveis da atividade humana. Num ser embrutecido, ele no começo é como um tênue véu incolor vai se fortalecendo e se revestindo de cores maravilhosas na medida em que vão passando as reencarnações e vai se tornando exuberante, vibrante energeticamente, adquirindo vida ativa no PLANO MENTAL SUPERIOR. Conhecido como fio-ego, sutrâtma reencarnador. Neste corpo reside o Karma e o Darma, sendo que o darma tem atributos imortais e o Karma atributos temporários, onde se trava esta luta energética para purificar e queimar essas energias negativas.”

CORPO BÚDICO ( Consciência Búdica ou Cristo):

Corpo responsável pelas expressões e manifestações de sentimentos nobres e elevados, como o amor incondicional. Atua no homem através do corpo astral que nada mais é do que o “depósito” das emoções.
A Consciência Búdica leva o homem a se harmonizar com os Mestres que, em função do Seu Grande Amor não excluem nem os viciosos, são sabedores de que o impuro também é parte Deles.

Blavatski diz: “Buddhi é a capacidade de percepção, o canal através do qual o conhecimento Divino chega ao Ego, o discernimento do bem e do mal, bem como a Divina Consciência e a alma espiritual que é o veículo de Atma”.
Neste plano, os registros akáshicos não mais existem, já estão abertos para esta Consciência. O corpo Búdhico é uma só Consciência para todos os planetas do nosso Sistema Solar, e um Ser Búdico pode escolher realizar Seu trabalho em qualquer um destes planetas.

CORPO ÁTIMICO:

Espírito puro.