ORIENTAÇÃO TRANSPESSOAL ONLINE SKYPE

SÍNDROME DO PÂNICO - tratamento e cura

Depressão X Obsessão Espiritual



Muito se fala na atualidade sobre a depressão como uma patologia.

Tristeza, cansaço, apatia, choro sem motivo, distúrbios do sono, falta de vontade, autoestima baixa, sensação de vazio existencial e o famoso “baixo-astral”, são considerados os principais sintomas de depressão.

Antes de tudo, é fundamental diferenciar  o estado depressivo passageiro e natural em nossas experiências de vida e o transtorno depressivo.


A depressão é um estado de espírito resultante de um sentimento de perda, luto, de uma frustração. Nem sempre as coisas são do jeito que gostaríamos e temos que conviver com a dor causada pelas adversidades. 

Ela faz parte de um processo de recolhimento, interiorização que nos coloca em contato com nosso mundo interior. Um recesso necessário para repor energias, para refletir e aprender com as experiências frustrantes e dolorosas.
Saber perder, este é o aprendizado...


Quem está pronto para aceitar que as coisas não são sempre do jeito que se quer?
Aquela pessoa que não está mais perto, aquele trabalho que não deu certo, relacionamentos e acontecimentos conflitantes.

A grande causa de depressão é o excesso de ansiedade que se tem no dia a dia. A preocupação constante com o futuro e a necessidade de controlar a vida. E a depressão surge quando as expectativas não correspondem à realidade que surge. 

Não há como controlar as pessoas e os acontecimentos que virão. Por mais que se queira estar no comando de tudo, a vida é uma experiência de interdependência, em que vários fatores contribuem para gerar a realidade.

Gasta-se muita energia tentando controlar resultados.

É bem cansativo viver de expectativas em relação aos outros e à vida. E em alguns momentos a pessoa para de lutar e acaba abandonando tudo. 
Diferente de se entregar confiante à vida, desiste, não tem mais forças.

No estado depressivo há sempre um ressentimento, que é a fixação de um acontecimento que nos desagradou no passado e que continua nos incomodando, como algo vivo no presente.
Quando esse estado se prolonga por muito tempo, sem uma melhora gradativa, significa que não tivemos recursos próprios suficientes para voltarmos ao estado de equilíbrio e adoecemos.

Nós todos oscilamos entre a depressão e a ansiedade. Caminhamos como em corda bamba, tentando nos equilibrar, hora pendendo para um lado hora para o outro. Ansiamos algo e depois nos decepcionamos com os desejos não realizados.

O Budismo nos aponta o rumo que devemos procurar seguir, aconselhando que nos afastemos dos extremos. O caminho do meio sugere evitar os excessos, tanto para uma margem quanto para outra, buscando o centro.

Mas, o que nos impede de sairmos dessa situação de sofrimento que a depressão provoca?
Por que vamos caindo como em um poço sem fundo?
A falta de energia para suplantar a depressão é uma questão fundamental. Tanto se gastou de energia,  durante tanto tempo, que não há mais recursos próprios. É necessário pedir ajuda!

O transtorno de depressão denota uma grave deficiência de energia vital. E mais que isto, pode ser causado e agravado por uma condição obsessiva. A pessoa que se encontra em estado de depressão, está na realidade, em estado de obsessão mental e emocional.

Ela não se contém, a frustração é muito grande, ela não consegue superar, fixando-se naquilo em que provocou sua derrota. Está obcecada e sua sintonia a conduz a aproximação de espíritos que se afinam a ela.

Algumas vezes, o espírito traz de outras vidas seu estado de depressão, porque cometeu erros no passado e se culpa, ou teve que se separar de alguém que amava de forma obsessiva, ou por apego aos bens materiais que deixou em outra encarnação, entre outras coisas. Volta a reencarnar com aquele sentimento de perda e falta de aceitação, que minam sua energia para a vida. Este é o caso de pessoas que não encontram, na vida atual, algo que justifique sua depressão.

A obsessão surge então, ativada por sua sintonia vibratória negativa que atrai espíritos de toda espécie, voltados ao egoismo. Vingativos, desorientados, apegados ao medo e as paixões...

Sob a ótica transpessoal que inclui a dimensão energética e espiritual em sua diagnose, o transtorno depressivo tem como causa o estado espiritual do ser.
O corpo astral é o veículo do espírito, através do qual ele convive no plano astral. Tanto os espíritos desencarnados quanto nós encarnados, vivenciamos essa dimensão. 

Nossos pensamentos e sentimentos são compartilhados nesse plano com muito mais intensidade que no plano físico. Se aqui conseguimos de certa forma disfarçá-los, na dimensão dos espíritos, não há como nos camuflarmos. Quando nos encontramos ressentidos e tristes, abrimos brechas às influências dos espíritos que ainda vivem das emoções inferiores. A nossa energia dirigida pelas emoções, atua na matéria do plano astral, compondo formas e cores.

O corpo emocional, como também é conhecido o corpo astral, constitui a maior parte da aura humana. Quanto mais densa a energia, mais opaca e escura a aura se encontra.

As emoções exteriorizadas na dimensão astral criam entidades denominadas elementais artificiais. Essas entidades pairam sobre  seu criador e atuam contra ele próprio. Algumas pessoas detectadas com obsessores, na verdade, estão sob o domínio de suas construções negativas. Estão respirando as próprias energias deletérias, Assim, aos poucos, o transtorno depressivo se instala enfraquecendo os corpos sutis, tornando-os tão densos que causam um “sobrepeso”  no espírito e uma “pressão para baixo”.

Quanto à realidade das obsessões espirituais na depressão, sempre haverá a sintonia vibratória como regente do processo.

Existem as obsessões leves, causadas por espíritos que são atraídos pela sintonia vibratória do depressivo e que acabam como parasitas encostados aos corpos sutis do obsediado, por esse motivo são conhecidos como “encostos”. 

Já, as obsessões mais pesadas têm muitas vezes como causas os inimigos espirituais de outras vidas que, vinculados ao obsediado pelo ódio e pelo padrão energético semelhante. Aproveitam-se dos pensamentos e sentimentos de baixa frequência emitidos pelo espírito encarnado, para se aproximarem dele. Com a intenção de vingança, buscam influenciá-lo em seu plano mental e emocional. Induzem-no a pensamentos negativos, como flechas que são atiradas em sua direção, imprimindo o processo depressivo até as últimas consequências, podendo levar o obsediado ao suicídio.

Estamos aqui nos restringindo aos casos de transtornos de depressão, mas é importante lembrar que as obsessões se manifestam na maioria dos transtornos psicológicos e em variados graus, visto que, estamos vivenciando com uma grande multidão de espíritos ao nosso derredor.

O transtorno da depressão pode ser resultado de uma série de desequilíbrios.

“O termo Depressão pode significar um sintoma que faz parte de inúmeros distúrbios emocionais sem ser exclusivo de nenhum deles, pode significar uma síndrome traduzida por muitos e variáveis sintomas somáticos ou ainda, pode significar uma doença, caracterizada por alterações afetivas.” (G.J.Ballone – Psiqweb)

Se você está começando a entrar em depressão ou  já tem o transtorno e quer se libertar desse sofrimento, a primeira atitude a tomar é pedir ajuda! Pode ser que já tenha feito algum tratamento sem obter o resultado desejado, porém não desista!

Você precisará  de ajuda para fortalecer seu espírito e seus corpos sutis e para se  libertar dessa sensação de estar afundando em areia movediça. É muito complicado sair dessa situação sozinho! A depressão tem como singularidade enfraquecer nossos corpos sutis a tal ponto que nos sentimos algemados e sem saída.

Faz-se necessário a busca pelo autoconhecimento para extirpar as antigas raízes dos pensamentos e sentimentos negativos que nos fazem sofrer.  

Para alterar a frequência vibratória e se libertar das obsessões é preciso compreender a trama que nos une uns aos outros. Não podemos estar isolados do outro e do mundo. A solidão é ilusória e apenas conduz a perda de conexão com a essência iluminada.

Retornar para o caminho do meio e nele encontrar a aceitação. Aceitar a vida como ela é e as pessoas como são, sem querer mudá-las. Admitir as sombras que nos acompanham desde tempos remotos e que necessitam do amor incondicional que transforma trevas em luz, , sem culpa.

Aprender a amar a si mesmo, aos  irmãos encarnados e aos espíritos desencarnados que possam estar nos assediando.

Sublimar as emoções inferiores em sentimentos desapegados. No lugar do desejo acolher o presente Divino que nos é oferecido todas as manhãs.
O sol que nasce, os pássaros que cantam, mesmo em meio a poluição que os desejos humanos proporcionaram à paisagem.

Perceber a Presença Divina na chuva, mesmo que seja ácida e numa flor, mesmo que solitária...
Contemplar a Natureza externa e principalmente sua Natureza interior. O seu microcosmo que está sob seu domínio. Alimente-o com energias purificadoras e de elevada frequência.

Conectar-se ao seu Mestre Interior, o iluminado que é desperto e não se deixa levar pelas emoções inferiores. Adentrar o chacra Anahata, centro cardíaco e fazer vibrar amor. Treinar e praticar sem medo de errar. Aprendemos com os erros e evoluímos através do ego.

As obsessões espirituais e a depressão são um caminho para o entendimento que o sofrimento  não é apenas o “meu” sofrimento, mas de todo aquele que se sintoniza comigo. Eu e o outro nos tornamos um na dor ou no amor.

Seja Amor!



Para mais informações sobre Terapia Transpessoal com Nadya Prem, valores e  agendamento de consulta particular: mailto:nadyaprado@uol.com.br

Comentários

  1. Muito bom. Gostaria de fazer este tratamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cláudia, comece então, dê o primeiro passo para essa caminhada de autoconhecimento e cura!
      Será um prazer atender você!

      Excluir
  2. Gostaria de saber os custos, pois quero tratar meus dois filhos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Nea, para saber valores e outras informações sobre atendimento envie um email para nadyaprado@uol.com.br , grata!

    ResponderExcluir

Postar um comentário